Qual o papel do Lighting Designer no controle de luz em um projeto de iluminação residencial?

 

Em meio a uma aula sobre este tema, surgiu um debate incrível entre 03 alunos: um LD cênico, um LD arquitetônico e um engenheiro elétrico especializado em projetos de automação.

O LD cênico pergunta: o Lighting Designer arquitetônico está realmente comprometido com essa etapa do projeto? Essa etapa é realmente realizada pelo LD ou está na mão dos programadores do sistema controle de luz?

 

 

Para a área cênica, é inconcebível criar a luz e deixar outra pessoa pensar na afinação e criação de cenas. O engenheiro, concordando com o colega de sala, demonstra espanto afirmando que boa parte dos projetos que efetua na automação, o LD arquitetônico geralmente especificam as separações dos circuitos no projeto, mas não especificam as cenas. E os poucos que documentam isso no projeto, não vão até o local para efetuar os ajustes finais.

O LD arquitetônico, por sua vez, conta aos colegas 02 frustrações: muitas vezes não sabemos do cliente residencial (proprietário ou arquiteto/designer do projeto), mesmo questionando, se terá sistema de controle de luz. Por outro lado, quando o projeto contempla a automação, o cliente assume a questão da criação das cenas, excluindo o LD da história e efetuando diretamente com o programador.

 

 

O debate foi tomando grandes proporções, com argumentos de arquitetos e designers de interiores que eram a maioria em sala de aula.

Diante disso, retomamos para a questão inicial: o papel do LD no controle de luz. E coube analisar a essência do curso, do qual, retratamos o tempo todo o equilíbrio (ou a falta dele) entre a arte de iluminar e a técnica. É fundamental girar essa roda durante todo o processo.

Iniciamos pela concepção/desenho da luz – arte e emoção; Desenvolvimento do projeto – técnicas exatas; E terminamos pela execução do projeto – que inicia com técnica (instalação de produtos) e termina com arte de emocionar (afinar e criar as cenas).

O controle da iluminação, dentro do projeto residencial é momento onde a iluminação se multiplica, tem movimento, vida e principalmente encanta e emociona os nossos clientes. Se você gera o desenho de luz, você responsável pela criação das cenas, momento onde floresce o seu projeto.

Portanto, deixe sua essência até o final.

 

 

Gostou? Cadastre-se e receba nosso informe semanal.