O que se passa aqui dentro? O Processo de projeto – Parte 1

 

Inicio meu segundo texto desta coluna com um trecho do meu artigo científico

(Carina Tomazzoni, 2011: Criatividade e emoção como qualificador do projeto de iluminação. Orientadora Betina Martau).

e que é a essência do que acredito:

 

“Assumir o desafio de propor algo novo e criativo, sabendo dos riscos e consciente do trabalho exaustivo até poderia em um primeiro momento assustar alguns profissionais, mas se pensarmos mais a fundo veremos que

A LUZ EM SUA ESSÊNCIA É ALGO TOTALMENTE IMPREVISÍVEL.

É capaz de nos revelar resultados completamente inesperados.

Percebemos então que o design da iluminação está intimamente ligado às incertezas. Podemos fazer cálculos e simulações com modelagem tridimensionais, mas nunca teremos a certeza de um resultado antes de sua instalação estar finalizada.

Natural então aceitarmos os riscos.”

 

 

 

Não é cômodo propor novidades mas geralmente compensa, então:

Me desafie!

E espere…

…porque sou tão inconstante e ao mesmo tempo metódica que a produtividade não é meu forte, mas é bem provável que depois desta espera irá se surpreender (torcendo que seja do modo positivo kkkk).

O processo de projeto geralmente é incompreensível (até mesmo pra mim!!!)

 

 

Quer saber mais?

Aguardem as cenas dos próximos capítulos!

 

 

Gostou? Cadastre-se e receba nosso informe semanal.