O Luthier e o Lighting Designer

 

Olá novamente!

Já faz um tempinho que não apareço. Se você chegou aqui neste texto o clickbait funcionou! :^D

Você sabe o que é um luthier? Seja honesto e nada de procurar no Google, hein!

 

Mel? Melado? Melaço? Nutella?

 

O Luthier é um artesão especializado na confecção e no reparo de instrumentos de corda com caixa acústica tais como violões, violinos, balalaicas (não a vodka!!), etc.

Daí você se pergunta: e o que um profissional de iluminação tem a ver com isso?

Meu caro, eu te digo que existe um mundo de semelhanças e ele é bem maior do que se imagina.

Um músico profissional pode comprar um violão de marca “de prateleira”? Pode! Mas ele procura algo com uma qualidade específica. Então procura-se um luthier para fazer um violão “único”. Um som que os produtos standards, das marcas conhecidas no mercado, não realizam mais. Solicita, por exemplo, a confecção de um violão com 7 cordas, em madeira brasileira, uma caixa acústica mais “macia” e um braço onde os trastes são mais espaçados. Vale ressaltar que a requisição deste profissional auditivo não é estético e, tão pouco, ornamental! Ele até orienta uma coisa ou outra de acabamento, mas a necessidade é acústica. O que realmente importa é o som.

Resumindo, o nosso amigo pouco conhecido é um especialista em um segmento específico. E é neste ponto que queria chegar.

Se trata do nicho do nicho. É praticamente um hiper nicho. E cada vez se afunila mais. Existem luthiers especializados apenas em manutenção e estudos da acústica de violinos Stradivarius dos séculos XVII e XVIII .

 

Stradivari “Lady Blunt” de 1721. Valor no “eBay” de 10 milhões de libras + 3 pacotes de amendoim. (Frete grátis para Zanzibar)

 

Da mesma forma que a luteria é a especialização em construir e reformar instrumentos de corda, o profissional que faz projetos de iluminação é especializado em projetar luz.

O lighting designer, portanto, é uma hiper especialização. Resumidamente, a analogia que trago para reflexão é simples, embora poética: o LD capacitado (com toda a sua bagagem)  é quem “afina” o espaço e a arquitetura para que o conforto, o equilíbrio e a harmonia sejam elementos que façam parte de uma composição maior.

Um bom profissional de iluminação tem que ir além do standard. Entregar um algo a mais para o seu cliente, extrapolar questões e agir para além da estética. Ainda, enaltecer o entendimento da vivência do local e, por fim, enfatizar os elementos importantes de percepção do ambiente. — Nossa! Como falei bonito!

Muitos profissionais desenham luminárias específicas para determinados projetos. Dando identidade e a ambiência necessárias ao local. Por mais que enlouqueça a indústria de iluminação por não ser um produto de catálogo, os bons profissionais procuram os parceiros certos em prol do melhor para o projeto e elevam o sarrafo do mercado brasileiro.

 

Rare Pastrami Bar em Moscou – Design @crosbystudios | Photo @loskutoff

 

Finalizando, as pessoas podem escolher um produto da prateleira. Mas I have a dream que tenham o conhecimento e valorizem o profissional especializado para que juntos alcancem o melhor resultado. Seja na música e, por que não, na iluminação.

E com este intuito de personalização (e união) que tal uma vaquinha pra comprar um SearchLight do Batman de lâmpada de arco voltaico? 15 kW e uma temperatura de 3200°C que tal?

 

Batman: — Tá quentinho aqui do lado.

 

Já sabe o que é Luthier, certo?! E qual é o ofício do “Prático”? Respostas em @oacetico (Twitter ou Instagram).

 

E vai tudo pro Vinagre!

¯\_(ツ)_/¯

 

 

Gostou? Cadastre-se e receba nosso informe semanal.