Iluminação não é projeto complementar.

Ao longo da vida profissional como arquiteto ou designer de interiores, sempre utilizamos o termo Projeto Complementar e colocamos como complementar, tudo o que não é arquitetura: Ar condicionado, elétrica, hidráulica, automação, telefonia, etc... e também a iluminação. Isto acontece talvez porque “interpretamos”, na fase de projeto, a iluminação como produtos (luminárias e lâmpadas) e não como LUZ.

Citando aqui um grande profissional de iluminação e amigo, Guinter Parschalk, “Luz é suporte para a comunicação visual” e esta afirmação é uma verdade irrefutável.

Sem a LUZ é impossível distinguir cores, volumes, texturas e formas. Estes são instrumentos projetuais fundamentais quando lidamos com arquitetura ou interiores. Então, se o meu trabalho depende a LUZ para ser percebido, como a iluminação pode ser um projeto complementar?

Não entramos sequer no mérito da luz comportamental e da influência fisiológica da iluminação, dos aspectos emocionais da luz e do conforto visual, da reprodução correta da cor, da sombra, da luz adequada para tarefas visuais, da eficiência energética e muito mais...

Arquitetura sem Iluminação é como uma tela em branco e os pincéis em mãos erradas podem acabar com a sua obra prima.

 

Alexandre Rautemberg - Portal Lighting Now!